Thirteen Reasons Why (?) No! É sobre palavras e amor

Oi! Eu não sabia… Ou melhor, não sei sobre o quê escrever. São muitas coisas rodando o meu pensamento, mas, estas coisas devem ser colocadas para fora. Os cristãos estão na semana santa, amanhã é “sexta-feira santa” e eu não podia deixar de lembrar que o maior ensinamento de Jesus foi : servir uns aos outros. E não é qualquer servidão, mas, servir com amor! Não para sermos escravos de alguém, e, sim para sermos como ele. Jesus era um cara muito loucão, ele ia a casa de homens odiados, exalava perdão as prostitutas, soltava indiretas- diretas aos religiosos, dividia o pão e o peixe e tudo mais com uma multidão cheia de dúvidas, amou quem amava seus ensinamentos, mas, mais ainda, quem não teve a oportunidade de entender! Tudo que ele fazia exalava fé, perdão, amor… Infelizmente, o mundo tá tenso. Enquanto alguns lutam por igualdades, outros brigam achando que as tradições serão quebradas se “tais pessoas fizerem tais coisas” ( não sei se essa expressão existe haha), ou, seja estão preocupados com a religião e não com o amor, que é a base de diversas religiões. Tem, também, os que brigam por “quem é o certo” quando cada um dá alguma resposta para as perguntinhas que pairam no cósmo. As pessoas estão esquecendo de fazer coisas aqui e agora. E eu estou sendo claramente as que esquecem. Mas, vamos relembrar? Jesus não era o único cara “paz e amor” que a gente conhece, eeeeeeeee, tem um montão, né?! Mas, quer saber? Você e eu podemos ser essa pessoa que Jesus ou qualquer outro sonhador era. Mesmo que seja difícil acreditar nas palavras de um sonhador que viveu há mais de 2.000 anos, o “Senhor”, para os cristãos, era um cara que quebrava as regras em nome de um sonho, não com luta sangrenta, mas com palavras! “E, daí?”, você pergunta.  E daí, que ele não era o único (aí fica fácil de acreditar, né?). Martin Luther King, por exemplo, mudou o rumo da história dos negros norte- americanos com palavras. E como já disse, há muitos outros sonhadores revelantes. E este fizeram o mesmo, eram pacifistas que lutavam e tinham as palavras como as maiores “quebra regras”. Sejamos assim. Influenciadores de sonhos. Sejamos conquistadores, com uma luta sem sangue, sem armas ou guerra. Sejamos humanos! E tenhamos atitudes de ir e vir e para onde formos levar a bondade em nossas palavras. Eu sei que essa semana estão falando muito nesse assunto. Mas, na boa reflitão! É necessário cada um espalhar coisas boas e/ ou ajudar as pessoas a fazerem coisas boas, ou mostrar para elas que há sim,  bondade em cada ser!  Aproveite a foga amanhã e saia de casa com o poder das suas palavras. Elogie. Converse, até com você mesmo se não tem amigos… Desafio você a ser radical. A dizer coisas boas a quem nunca teve coragem ou vontade. Pode ser até um “bom dia” para aquela vizinha chata da rua. Diga “eu te amo” nem que seja para o céu. E seja muitooooooooo grato! ❤ Não importa se você não acredita em nada, mas, seja uma diferença positiva nesta terra. Como estão dizendo por aí ” não seja o porquê de alguém” ou melhor ” não deixe ninguém ser o seu porquê”. Vai em frente que ainda tem muita gente esperando ser amada! E muita coisa pra ser “VEVIDA” (Vivida + vencida! Fui eu que juntei ! 🙂 ) BJSSS :* E até mais!

Anúncios

Como começar novamente?

Oi, pessoas! ❤ Eu sumi, mas não vou desistir do blog (kkk). Eu estou na saga para recomeçar a vida, depois de 1 ano sem saber o que eu tava fazendo. Dentro de alguns dias eu não só aprendi e reaprendi a sobreviver como,também, fui ajudada (isso é assunto para outro post). Enfim, relembrando, notando o meu cotidiano e pesquisando anotei algumas dicas que vou “falar” para vocês. Engraçado, tem coisas que eu anotei para fazer ano passado, mas nem fiz… Chega de confissão e olho nas dicas mais bobinhas da galáxia.

1 – Reconheça seus erros e perdoe-se

Algumas “bads” parecem que vão permanecer para sempre, principalmente, quando nós temos uma certa culpa delas existirem. Eu, por exemplo, fui culpada por não ter passado no vestibular, não estudei da maneira certa (assunto para um futuro poster), não fiz exercícios da maior parte dos assuntos… Eu poderia citar todos os meus erros que daria muuuuuuuuuuuuitas linhas. Percebeu que eu reconheci os meus erros? Mas, claro, eu também me perdoei.

2  – Se você errou, use seus erros para futuros acertos

Como eu sei em quê eu errei na minha preparação para o vestibular, e como ainda quero passar, um dos meus passo é trabalhar em cima desses erros. Por exemplo, os exercícios que deixei de fazer, tenho que fazer. Percebeu como é simples?

3 – Não se compare

Quanto mais a gente se importa mais vai viver para ser outra pessoa/ pelas pessoas. O importante é se sentir bem sendo você!

4 – Tenha lazer

Pode ser um hobbie ou uma atividade que você nunca fez. Só não se cobre nessas atividades. O importante é relaxar e descobrir o que você gosta 😉

5 – Jamais faça o seu erro ou atividade que você quer realizar ditar seu valor

Eu achava que faculdade era tudo! É o meu sonho, mas eu não preciso ser feliz só quando conseguir está lá. Também, a conquista ou a derrota NÃO vai ditar quem eu sou.

6 – Cerca-ti de BEM

Fica perto de gente que acredita em você, que ti inspira, que ti encoraja, que ti ajude a seguir em frente!

Então, é esse meu recadinho bobinho (risadas)! Não tenha vergonha de buscar motivações, nem fazer várias coisas malucas (tipo dançar até o chão) e nem tenha vergonha de ter fé. Ter fé em Deus foi essêncial para mim! Eu passei no vestibular, mas não foi beeem o que eu queria, por isso o foco nesse ano é focar (risadas), ter fé em Deus e em mim ( a dona do livre árbitro). ❤

Até a próxima!

Ps: Eu não sei usar o livre árbitro kkkkkkkkk.

Extraordinário

Oi! Sim, eu sou a garota que escreve para fantasmas… Hoje eu tenho uma dica literária para você que achou esse blog por acaso em um futuro que talvez eu nem exista! HAHA 🙂 Você já leu “Extraordinário”? Não?! Apenas, conta sobre a história de um garoto que superou o preconceito.  Mas, caramba! É um daqueles livros que você tem que ler antes de morrer (Exagero mesmo). A história de Auggie é contada de vários ângulos pelas pessoas que o cercam. Não sou a história do garoto é contada, mas quase todos tem um pouquinho de histórias de si para contar.  E é uma história tão comum, com assuntos tão cotidianos, mas contados de um jeito tão bonito! Ela nos faz refletir sobre como somos malvados, sobre como, às vezes, podemos machucar mesmo quando não queremos ser maus… Não acho que seja um simples livro metido a “motivacional”, como diria um ex professor de literatura, que enxerga os livros não literários como motivacionais, mas acho que nos faz enxergar a vida de um jeito mais simples, mais pura e ao mesmo tempo complexa se olharmos para a nossa maldade e a de quem nos cerca. Auggie nunca tinha ido a escola e derrepente lá está ele com seu rostinho deformado (spoiler) se expondo, sentindo o que é se encomodar, como nunca se encomodou. Mas enfrentando desafios, fazendo amigos e vivendo muita coisa… Você vai rir um bocado, talvez se entediar no começo, que é meio parado, mas garanto que quando o livro acabar vai sentir muita falta, vai querer ser aplaudido de pé pelo menos uma vez na vida. Isso mesmo, ser aplaudido!  Como diria August Pulman (Auggie, o personagem) “Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.”. É assim que eu vou me despedindo de vocês, com uma “feflexão-resenha”, muito mal (ou mau) contada por sinal! 😉

Crônica do inventar sentir

Um dia os seus olhos encontrarão o de uma menina e os delas o seu, um dia vocês vão dividir carinho, um dia as pessoas vão tentar separara-los e um dia a religião não vai distância-los. Ela vai pensar em você, vai desejar ti ver e esperar o conforto dos seus braços, mas você vai vacilar, vai machuca-la. Ela vai se enganar, pois, vai criar raízes de confiança em você. Vocês terminarão. E quando tudo se acalmar ela vai perceber que criou um conto de fadas, mas, fadas não existem. E aquela menina vai guardar cada cena, só por que ela já não sentirá o que é sorrir por amor, só porque ela quer guardar o suficiente do que é sofrer por amor.

A menina não sentirá. A menina de você vai recordar, pois, ela não sentirá.

O dia em que eu não fui para a faculdade

Se o sonho da sua vida é ir para a faculdade, se você é daquelas pessoas que idealiza uma vida de aventuras, risadas, festas, amigos, crushs, você não estar sozinha! ❤ Vamos conversar intimamente: sempre quis ir, mas não deu. Não atingi uma boa nota para entrar na federal (que eu queria muito entrar) e não estava com codições financeiras para pagar a metade da facul :/ Passei o ano quase todo (não acabou, né? kkk) em casa. No começo eu estava super empougada, queria até fazer medicina. Estava disposta a aprender sozinha e mais, ia aprender a tocar um instrumento e finalmente fotografar! Eu planejei fazer alguma coisa, mas a verdade é que ao passar dos meses tudo foi ficando chato e depressivo. Eu estava lutando entre a minha mente, que me dizia o tempo todo que eu não consiguia nada na vida, e entre minha vontade de ter um futuro melhor. Os dias foram desesperadores, se arrastaram perigosamente, eu estava lutando, mas estava perdendo. Às vezes surgia alguns reforços, confesso que eram até meios divinos, mas a minha mente sempre voltava a me falar que eu fiz tudo errado. People, se você tem uma chance de tentar, tente! Tente mesmo… A vida, Deus, o cosmo, o destino (sei lá no que você acredita), vai ti dá uma chance de perceber, de viver coisas que você não lembrava, coisas que você nem sonhava. Não tive uns estudos tão legal, afinal, só me cobrava, só me limitava! Mas aprendi que eu não precisava ter vergonha do que não aconteceu. Precisava sim me cobrar, mas não ao ponto de me sufocar como eu fiz. 2016 foi um ano desastroso, em que por diversas vezes eu quase não pude ficar de pé, mas estou sobrevivendo. Aprendi como estudar realmente; aprendi que todo dia é dia de me dá uma chance; aprendi que eu tenho sonhos lindos; aprendi que a vida é assim mesmo (óbvio), cheia de altos e baixos e que eu era só mais uma, mas que tennho de dizer para mim mesma: você não vai estacionar no tempo! Então, enquanto o tempo certo não vem, resolvi compartilhar algumas coisas com vocês, resolvi que vou comprar minha câmera (enquanto ela não vem tô só com o celular), resolvi parar de comer bobagem, resolvi fazer exercícios… Uma porção de coisas que terei prazer em dividir com vocês! Enquanto uma faísca de oportunidade não surge, crie sua felicidade com os detalhes. Volte a ser uma criança! Veja seu filme favorito de infância; come sua comida favorita; quebra seu orgulho e liga para quem tá com saudade; vai ver o mar; aprende um esporte; aprende a desenhar, costurar, bordar ou pintar; aprende a tocar um instrumento. Diga para si mesmo que você estar de férias! E quando o trabalho, a faculdade, o crush, a vida ti irritar procura os detalhes e vá ser feliz! Você pode fazer coisas incríveis todos os dias!!! Acho que estar em casa é um saco, mas tô fazendo uma lista com as coisas que eu tava com saudades de fazer/ coisas que eu sempre quis fazer, mas não tinha tempo e tá até fluindo legal. PS: Eu tô sem nenhum centavo, mas vamos animar!!! Desculpa o textão e não desiste do blog, migs s2

Andreza Freitas,

uma poeta descalça dos dias enfadados, ensinando você a seguir em frente!